Plagiocefalia nos bebés

O que é a plagiocefalia?

A plagiocefalia (síndrome da cabeça chata) é uma deformação do crânio do bebé que consiste num achatamento lateral assimétrico da parte posterior do crânio.

Ocorre principalmente nos primeiros 6 meses de vida, quando o crânio está mais maleável e os ossos da cabeça (fontanelas) ainda não estão bem fundidos.

A plagiocefalia é uma condição mais comum do que pensamos. Segundo vários estudos, pode afetar 47% dos bebés. Embora seja uma patologia benigna e na maioria das vezes desapareça naturalmente por volta dos 2 anos, a sua prevenção é importante.

Por que ocorre?

O mais comum é que se trate de uma plagiocefalia posicional por causas posturais.

Isto ocorre porque os bebés passam muitas horas por dia na mesma posição, dormindo de costas para evitar a SMSL e, em superfícies duras que pressionam a parte posterior da cabeça.

Em alguns casos, a plagiocefalia pode estar presente desde o nascimento, devido à posição do bebé no canal de parto ou à falta de espaço dentro do útero. Também pode ocorrer quando os bebés são prematuros ou em nascimentos múltiplos.

Que consequências tem?

A plagiocefalia não é apenas uma questão estética.

Estudos demostram que pode estar relacionada com outros problemas de saúde que afetam o desenvolvimento e crescimento dos bebés. Entre eles:

  • Torcicolo congénito.
  • Infeções do ouvido, como otite.
  • Problemas visuais e auditivos.
  • Distúrbios de oclusão dentária.
  • Atrasos cognitivos ou psicomotores no desenvolvimento de habilidades motoras finas e grossas.
  • Problemas de linguagem ou habilidades sociais, etc.

Por que é que o colchão é tão importante?

O colchão onde o bebé dorme deve exercer a menor pressão possível sobre a cabeça do bebé para evitar o desenvolvimento de deformações cranianas.

Nas primeiras semanas de vida um bebé pode dormir até 18 horas por dia! E a recomendação médica é que durma de costas para evitar o risco de asfixia e morte súbita.

Na Ecus Kids concebemos o colchão Care® que reduz em 70% a pressão exercida na cabeça do bebé, graças à sua espuma em forma de pequenas bolhas que proporcionam numerosos pontos de apoio. Desta forma, conseguimos prevenir a plagiocefalia, ou ajudar a corrigi-la caso o bebé já a tenha desenvolvido.

Como podemos prevenir o seu aparecimento?

A maioria dos casos de plagiocefalia são leves e podem ser resolvidos com ações simples.

Além de utilizar colchão que reduza a pressão exercida, é importante: limitar o tempo que o bebé passa em superfícies inadequadas e duras como o carrinho ou a espreguiçadeira, usar um marsúpio, mudar regularmente a posição da cabeça do bebé ao dormir e, quando acordado, coloque-o de barriga para baixo e estimule o movimento do pescoço com brincadeiras.

Caso suspeite que o seu bebé possa ter plagiocefalia, é importante ir ao pediatra ou especialista para realizar exercícios de fisioterapia e prescrever o tratamento adequado para evitar complicações a longo prazo.


Quer saber mais?

Se quiser saber mais sobre a plagiocefalia, as suas causas, as suas consequências e como preveni-la, leia o nosso blog. Aí encontrará informações e conselhos para proteger a cabeça do seu bebé. Queremos partilhar consigo todas as informações que precisa!